Doações de Natal reduzem Imposto de Renda

As semanas que antecedem o Natal acendem a solidariedade do brasileiro, traduzida na organização de sacolinhas, cestas e doações aos necessitados. Mas as entidades filantrópicas precisam de dinheiro o ano todo.

A boa notícia é que boa parte das entidades, sobretudo as de maior impacto social, podem receber doações por meio de programas de incentivo que permitem canalizar parte do Imposto de Renda devido. Ou seja, a pessoa faz a boa ação com o dinheiro que iria para a Receita.

Mas isso só vale para quem faz a declaração do IR pelo modelo completo. Assim, as doações podem tanto aumentar a restituição como reduzir o saldo ainda a pagar.

Além de contar com poucos incentivos tributários às doações, o brasileiro aproveita mal as poucas possibilidades de abatimento do imposto. Segundo a Receita, o brasileiro só aproveita 1,5% do valor do IR devido.

Entre as possibilidades de “doar imposto” estão o Fumcad (fundo municipal da criança e do adolescente), as leis de Incentivo ao Esporte, Rouanet e do Audiovisual, todas limitadas ao máximo de 6% do IR devido.

Para reduzir o IR devido nas declarações de 2012, as doações devem ser feitas até o final do mês e só valem para projetos “carimbados” -no caso do Fumcad, pelo conselho da cidade; no dos projetos culturais e esportivos, pelos ministérios.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em Americana

Aqui no município de Americana, temos como opção o Fundo do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FCMDCA), que tem como presidente a sra. Beatriz Betoli. Para fazer a doação para o FCMDCA precisa entrar em contato com a secretaria do Conselho (fone: (19) 3471-9800) e pedir informações sobre conta corrente, cnpj, entre outros.

Anúncios

Tributo à cidadania

Este site é muito bom como tutorial para quem deseja destinar parte do Imposto de Renda devido para os Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente.
É um meio idôneo de manter o dinheiro do contribuinte na cidade, na qual reside, e acompanhá-lo para saber se é realmente aplicado em fins sociais destinados à criança e ao adolescente.

Abaixo segue explicação tirada do próprio site (www.tributoacidadania.org.br).

 
Podem ser destinados diretamente a programas sociais de amparo à criança e ao adolescente 6% do imposto de renda apurado anualmente pelas Pessoas Físicas e 1% do imposto de renda pago sobre o lucro real das Pessoas Jurídicas.

Trata-se de exercer um direito cidadão. Decidir pelo menos em relação a essa pequena parte, por uma aplicação de alcance efetivamente social para o imposto que a sociedade paga.

O Destino é a criança e o adolescente da sua cidade, região ou estado.

Os recursos devem ser depositados em contas bancárias controlados pelos Conselhos Municipais ou Estaduais dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Esses conselhos fazem o repasse para programas executados por Entidades Sociais Cadastradas.

O resultado você pode acompanhar de perto.

Fonte: http://www.tributoacidadania.org.br/