“Política crítica” se levada a sério pode ser muito útil

Para Aristóteles a Política é a ciência mais suprema, a qual as outras ciências estão subordinadas e da qual todas as demais se servem numa cidade. A tarefa da Política é investigar qual a melhor forma de governo e instituições capazes de garantir a felicidade coletiva. Segundo Aristóteles, a pouca experiência da vida torna o estudo da Política supérfluo para os jovens, por regras imprudentes, que só seguem suas paixões (Fonte: http://pt.shvoong.com/law-and-politics/1711935-conceito-pol%C3%ADtica-em-arist%C3%B3teles/#ixzz1JVyfWXjy)

Para Aristóteles, o homem é um animal social e político por natureza, logo, tem a necessidade de conviver em sociedade e promover o bem comum e a felicidade. Para Aristóteles, as polis gregras eram a associação dos homens (encarnadas como Estados) que, por meio da política, estes deveriam conviver em harmonia e promover o bem comum e a felicidade de todos. Pois, segundo o filósofo, toda a associação tem como finalidade algum bem.

Assim, os homens, tendo por finalidade a felicidade e o bem comun e, considerando a própria tendência que as pessoas tem de se agruparem, sentem a necessidade de se agruparem, formando uma associação, concebendo-se a comunidade política, de acordo com a filosofia aristotélica. E, ainda nessa filosofia, ninguém pode ter garantido seu próprio bem sem a família e sem uma forma de governo.

Quanto ao conceito de crítica, de acordo com a Wikipédia, a crítica é feita pelo crítico, jornalista ou profissional especializado da área, que entra em contato com o produto a ser criticado e redige matérias ou artigos apresentando uma valoração do objeto analisado. Em geral, o crítico não pode apresentar uma avaliação puramente subjetiva, mas também deve apresentar descrição de aspectos objetivos que deem sustentação a seus argumentos (http://pt.wikipedia.org/wiki/Cr%C3%ADtica).

Aprofundando o tema da crítica, a Teoria Crítica, que teve seu início num ensaio-manifesto publicado por Max Hokheimer em 1937, busca unir teoria e prática com uma tensão no presente. Uma das propostas dessa teoria visa oferecer um comportamento crítico nos confrontos com a ciência e a cultura, apresentando uma proposta política de reorganização da sociedade. Dessa forma, a Crítica propõem uma forma de análise, num modo dialético, dos fenômenos ocorridos com os fatos sociais que os provocam.

Portanto, das premissas acimas, posso concluir que uma Política Crítica séria é aquela que estuda, analisa os fatos sociais (as atitudes dos homens políticos para atingir o bem comum), confrontando-os com as Ciências (Política, no caso, e outras afim), fornecendo, ao final, uma proposta de melhor organização / administração da sociedade (e porque não da coisa pública), entre outros fatores, possibilitando até uma nova visão da sociedade.

Anúncios

Publicado por

Rodrigo Santhiago Martins Bauer

Advogado, pós-graduado em Direito Tributário pela LFG, graduado em Direito pela PUC Campinas